Um blogue dedicada à exposição de alguns objectos que podem definir um verbo tão complicado como o verbo SER, relativamente à sua definição na personalidade de uma pessoa...
publicado por O Verbo Ser | Segunda-feira, 18 Outubro , 2010, 21:38

Para definirmos o Ser de uma pessoa temos, muitas vezes, de recorrer a adjectivos e a realidades características. Uma destas características pode ser o egoísmo.

Já muitas vezes ouvi especialistas afirmarem que “O egoísmo é uma realidade que nasce connosco e que se vai controlando ao longo dos anos.”. Ou seja, o egoísmo nasce connosco e, ao longo dos anos, vai diminuindo, por vontade nossa, vai sendo, por nós, controlado, através também da experiência de Vida. Hoje descobri que se calhar não é bem isto que acontece. Vou contar-vos o que me faz pensar assim:

Vinha eu, cansado, triste e pensativo, da escola, depois de 270 minutos enfiado em laboratórios, quando, na camioneta, me deparo com uma situação fascinantemente incrível – uma mãe, com dois filhos, um de mais ou menos quatro anos e outro com para aí dez, tinha comprado um saquinho de gomas para o filho mais novo e tinha acabado de ir buscar o filho mais velho à escola. O filho mais novo, criança muito jovem e inocente, tinha já só três feijões de gomas no saquinho quando a mãe lhe diz:

“- Dá um feijão ao teu irmão que ainda não comeu nenhuma goma.”

Prontamente, o mais novo pega nos três feijões que tinha dentro do saco e dá-os ao irmão, dizendo:

“-Toma lá os três que eu já comi muitos e tu não!”

Esperaria isto de muita gente, de um adulto ou de um idoso, mas de uma criança de quatro anos, se calhar, não!

Isto é uma prova de que Deus não cria o mal e de que o mal é a ausência do bem. Nós não nascemos com o egoísmo, nós é que podemos enveredar o caminho pelo qual queremos seguir. É isto que acontece!

Afinal, o egoísmo não nasce connosco, se calhar nós é que escolhemos tê-lo.

Ah, não se esqueçam que a partilha, por muito simples que seja, é das coisas mais fascinantes que se pode experimentar.

 

 

 

SEJAM, MAS SEJAM COM SENTIDO…!


Micaela Madureira a 14 de Novembro de 2010 às 23:25
Olhos atentos e coração disponível, eis uma bela forma de se estar na vida, de se ser.

Todos nós assistimos a verdadeiros milagres todos os dias, mas temos uma grande capacidade de olhar e não ver, de ver e esquecer.

Não acredito no egoísmo nas crianças, posso até acreditar que, muitas vezes, possam querer que o mundo gire em torno delas, mas não que o façam com o intuito de fazer com que não gire em torno dos outros. Querer para mim, ainda que o outro não tenha ou mesmo para que o outro não tenha, isso é coisa do mundo nada encantado dos adultos.

O pior é quando começamos desde cedo a passar aos miúdos essas nossas manias de gente "crescida". Hoje, por acaso, vi um programa em que miúdos que ainda mal andavam desfilavam e eram submetidos a, diria eu, terrível chantagem dos pais, que esperavam que eles fossem os melhores, ainda que isso significasse serem os mais ocos, invejosos e egoístas.


Ana Montenegro a 10 de Dezembro de 2010 às 22:10
Também a mim me puseste em causa com este post Rui. Na faculdade, uma das muitas coisas que aprendemos é que aos três anos a criança encontra-se numa fase muito egocêntrica, ou seja, o egoísmo existe muito nessa fase. MAs tu, com este simples exemplo de uma situação que viste com os óculos da atenção e do optimismo vieste desfazer, por completo, essas teorias que tantas vezes parecem suportar as nossas vidas (: obrigado por isso 1

mais sobre mim
Outubro 2010
D
S
T
Q
Q
S
S

1
2

3
4
5
6
7
8
9

10
11
12
13
14
15
16

17
19
20
21
22
23

24
25
26
27
28
29
30

31


arquivos
pesquisar neste blog
 
Visitas
blogs SAPO