Um blogue dedicada à exposição de alguns objectos que podem definir um verbo tão complicado como o verbo SER, relativamente à sua definição na personalidade de uma pessoa...
publicado por O Verbo Ser | Sábado, 12 Fevereiro , 2011, 14:03

 

Muito se passou desde o último post... Por vezes tenho muita pena por não conseguir escrever qualquer coisa mais regularmente por aqui, mas, infelizmente, são mais os dias onde o tempo me vive do que aqueles em que eu vivo o tempo.

No entanto, eis-me aqui, novamente pronto para reflectir um pouco sobre isto do que é o "SER".

Numa aula de Filosofia, em que estava tudo menos bem-disposto, devido a uma dor de cabeça maior do que a minha própria cabeça, o nosso professor apresentou-nos um texto de Johannes Hessen, "A filosofia dos valores", que me chamou, entusiasticamente, à atenção. Aqui vai o excerto que me interessa para agora:

“O conceito de «valor» não pode rigorosamente definir-se. Pertence ao número daqueles conceitos supremos, como os de «ser», «existência»…, que não admitem definição. Tudo o que pode fazer-se a respeito deles é simplesmente tentar uma clarificação ou revelar o seu conteúdo. (…)”

Este excerto contém implícita uma grande problemática – como definir valor? -. Valor é muito difícil de definir, sendo a Axiologia (que estuda os valores) uma área da Filosofia que se encarrega de o tentar fazer e de analisar os próprios valores.

Uma definição possível de valor, segundo um dicionário de Filosofia é a seguinte:

“Valor: carácter das coisas que as torna preferidas, mais ou menos desejadas, julgadas superiores, desejáveis…”

Assim, atrevo-me, também, a dizer que os valores estão intimamente relacionados com o SER, com a forma como regemos a nossa vida, segundo o prol do nosso SER.

As pessoas regem-se segundo uma personalidade que pode ser associada a uma parte do SER. Deste modo, a nossa personalidade pode basear-se nos mais variados e diferentes valores existentes. Uma pessoa pode-se “governar” segundo valores estéticos, enquanto outras se “governam” mais por valores éticos ou, ainda, por valores religiosos.

São e foram muitas as pessoas que propõe/propuseram tábuas de valores que definem uma importância subordinada relativamente aos valores. Ou seja, estabelece-se, nestas tábuas, uma hierarquização dos valores, segundo a importância que estes têm para as pessoas que elaboram cada uma das tábuas.

Uma das tábuas que se pode utilizar para realizar um estudo Axiológico é a tábua de valores de Max Scheler, adaptada por Ortega y Gasset. Aqui vo-la apresento:

Esta é uma tábua de valores hierarquizada de uma determinada forma, mas o que aqui vos proponho a todos aqueles que leiam este post é que componham a sua própria tábua de valores e que, depois ou a coloquem aqui no blogue sobre a forma de comentário ou que ma enviem por correio electrónico (overboser@sapo.pt) e eu, com a respectiva autorização do autor, coloco-a, seguidamente, aqui.

Parece-me que, depois desta reflexão, conseguimos mais um saltinho neste procurar incessante de uma definição de “SER”:

Os valores são parte integrante do SER de cada um de nós e a importância que cada um atribui aos mais variados valores varia de pessoa para pessoa.

Esperando as vossas tábuas de valores…

Até  à próxima...!!!

 

 


mais sobre mim
Fevereiro 2011
D
S
T
Q
Q
S
S

1
2
3
4
5

6
7
8
9
10
11

13
14
15
16
17
18
19

20
21
22
23
24
25
26

27
28


arquivos
pesquisar neste blog
 
Visitas
blogs SAPO