Um blogue dedicada à exposição de alguns objectos que podem definir um verbo tão complicado como o verbo SER, relativamente à sua definição na personalidade de uma pessoa...
publicado por O Verbo Ser | Sexta-feira, 15 Julho , 2011, 22:02

Olá, muitos bons dias!!! Como usual, já há muito não escrevia algo aqui e, assim sendo, muito se passou desde o último post.

Hoje vou falar um pouquinho sobre um tema relacionado com o SER.

Há uns dias, tive umas ideias para um projecto a começar. Obviamente, não vou referir agora o que será o projecto, mas vou aqui abordar algo que está directamente relacionado com ele.

VERGONHA. Já ouviram falar? É claro que sim. O nosso ser é criado por nós, logo algo do nosso agrado, à partida. No entanto, podemos não SER as melhores pessoas do mundo, mas, normalmente e deixemos as excepções de lado, somos o melhor que conseguimos. O nosso SER é um complexo conjunto de aspectos que nos pertencem e que são como um cartão de memória ao qual acedemos constantemente ao longo das nossas vidas. E, qual o sentido de, deste modo, sentirmos vergonha de nós, como indivíduos humanos? Sim, porque sentirmos vergonha do nosso SER é sentirmos vergonha de nós mesmos.

Por exemplo, no meu ver e pelo aquilo que já experienciei com várias pessoas minhas amigas, há muitos jovens que, por vergonha, não admitem nem professam a sua religião livremente. Porquê? Porque não é fashion e, principalmente, nada rude professarmos, no exemplo da minha Fé, um Deus Amor, um Deus Abba, Papá. E muito menos fashion é dizermos para um grande amigo ADORO-TE OU AMO-TE! Posso, porventura, saber porque se tornam extintas estas expressões/palavras? Pois todas estas expressões fazem parte do nosso SER, logo, nada de vergonha relativamente a isso.

Vergonha temos de sentir por acções menos boas que façamos, acções que vão contra a amorosa Humanidade de Deus. Acções que vão contra os nossos semelhantes, essas sim, é que nos devem provocar vergonha.... Não sei se me estou a fazer entender,mas espero que sim...

Vergonha faz-me lembrar VERGAR A FRONHA (Por favor, desculpem-me a expressão), ou seja, andar cabisbaixo. Isto não é atitude plausível para quem quer SER, para quem quer SER com sentido.

Como deve dar para perceber, este post não tem como finalidade dar uma definição de SER, mas abordar uma temática em parte relacionada com o SER individual-comunitário.

 

SEJAM, MAS SEJAM COM SENTIDO...!!!


Micaela Madureira a 19 de Julho de 2011 às 23:01
Cada dia é um privilégio maior caminhar contigo, pela pessoa lindíssima que és e pelo desafio constante que representas para mim.
Ver um texto destes escrito por um dos meus catecúmenos faz-me sentir imensamente pequenina perante o Amor de Deus derramado no coração da Humanidade.
Já li e reli e não consigo escrever um comentário digno do texto.
É bom saber que poderei sempre contar contigo para me obrigares a levantar a fronha e seguir a Caminho.
Vergonha? É que nem daquilo que faço (ou não faço) e me afasta da minha natureza, da evidência de ter sido criada (eu e toda a Criação) por e para o Amor. Vergonha só mesmo de ficar enrolada na vergonha pelas quedas em vez de me levantar.
O Deus que nos ama infinitamente quer-nos a Caminho e dá-nos Jesus como Caminho e Mediador. Jesus cabeça de um Corpo de irmãos-mediação.
Adoro-te, meu querido amigo e companheiro de Caminho.

mais sobre mim
Julho 2011
D
S
T
Q
Q
S
S

1
2

3
4
5
6
7
8
9

10
11
12
13
14
16

17
18
19
20
21
22

24
25
26
27
28
29
30

31


arquivos
pesquisar neste blog
 
Visitas
blogs SAPO